Como separar as contas da empresa das contas pessoais

Como separar as contas da empresa das contas pessoais

Se você está preocupado com a gestão financeira empresarial do seu negócio, um dos primeiros passos é saber como separar as contas da empresa das contas pessoais. Organizar e controlar exatamente o que entra e sai das contas da sua empresa é essencial para que ela cresça de forma saudável, sem surpresas e em dia com as obrigações fiscais.

Mas basta pagar uma conta de celular pessoal com o caixa da empresa para a exceção virar regra e o controle ir por água abaixo, não é mesmo?

Se você está pensando que seu caso é diferente, que consegue pagar tudo junto e, ainda assim, sabe a que se refere cada um dos valores do extrato bancário, cuidado! Sua atitude pode colocar um freio no desenvolvimento da sua empresa.

Para corrigir a rota, eu trouxe um post com dicas profissionais de controle financeiro que você precisa adotar. Confira!

Por que é importante separar as contas da empresa das contas pessoais?

Existem várias razões que justificam a importância da organização e separação das suas finanças pessoais e profissionaisA principal delas é que se perde o controle das contas, afinal de contas, essa é uma atitude tomada, na maioria das vezes, quando o seu dia está agitado ou alguma coisa deu errado com o dinheiro usado no dia a dia da casa, não é mesmo?

Mas sendo realista, se são urgências em momentos atribulados, as chances de você esquecer de retornar o valor para o caixa é grande. Além disso, não estamos falando de uma conta ou outra, mas, sim, de várias delas que, com o passar do tempo, deixarão sua gestão financeira uma bagunça total. Ou seja, trata-se de um hábito: não misturar as contas pessoais com as empresariais.

Saiba também que existem outros efeitos que provavelmente você não gostaria de lidar ou arcar com eles, como o fato de que sua conta bancária precisa de uma movimentação para comprovar sua renda e mostrar por que linhas de crédito e taxas de investimento mais interessantes devem ser concedidas a você.

Mapeie todas as suas contas (pessoais e do negócio)

Crie uma planilha para cada uma delas ou use um aplicativo de gestão financeira, não importa. Depois disso, em cada um dos controles, liste todas as suas despesas fixas e variáveis, seus valores médios e data para pagamento.

Sabendo tudo o que é preciso pagar e em qual data, você poderá fazer alguns ajustes para que situações urgentes, como a falta de dinheiro na conta corrente pessoal para pagar uma conta com o vencimento próximo sejam abolidas da sua rotina.

Com esse mapeamento você também pode identificar e organizar melhor as datas de vencimento de contas de consumo, cartão de crédito e outras, sabia? Basta solicitar nas empresas responsáveis pelas cobranças os ajustes, fazendo um fluxo de pagamentos personalizado para você.

Defina uma remuneração para os sócios

Também chamado de pró-labore, a remuneração fixa e periódica dos sócios é imprescindível para que o hábito de fazer retiradas das contas da empresa seja extinto.

Se você já tiver suas contas mapeadas e organizadas, inclusive, saberá o quanto de seu pró-labore deverá ser destinado ao pagamento das contas e quanto deve ser investido em outras áreas: lazer e entretenimento, por exemplo — afinal de contas, é preciso aliviar o estresse do empreendedor.

Não pense que com você é diferente

Um dos erros mais graves do gestor é achar que ele é diferente e que, mesmo que pague algumas contas pessoais algumas vezes com a conta da empresa, sempre organizará depois.

Estabeleça a meta pessoal de que é preciso gerir seu negócio de forma profissional, ou seja, como se fosse um empregado, cumprindo as mesmas regras e diretrizes que o tornam uma empresa honesta e em dia com suas obrigações.

Aliás, além das obrigações como pessoa jurídica, é preciso considerar àquelas pelas quais o gestor responde como pessoa física, como a Declaração do Imposto de Renda.

Em alguns casos, despesas de consumo poderiam ser abatidas, mas, sem o controle de quando e como foram pagas, esses dados podem se perder.

A confirmação de que possui uma remuneração única também fica comprometida, então, pense nisso, pois a malha fina pode ser o destino certo da sua declaração nesses casos.

Preveja os efeitos do descontrole financeiro

Os efeitos do descontrole financeiros funcionam como uma cascata. Eles podem afetar, por exemplo, os valores disponíveis no caixa da sua empresa. Assim, uma cobrança inesperada no negócio pode obrigar você a usar uma linha de crédito com juros do banco para sanar o problema.

Abrindo um parêntesis, o dinheiro em caixa é utilizado para diversas negociações importantes, inclusive com fornecedores. Comprometer esse valor pode, por exemplo, te impedir de negociar a matéria-prima de melhor qualidade, o que provavelmente será percebido por seus clientes finais, gerando uma mancha em sua autoridade.

Voltando ao efeito cascata, se no futuro o empréstimo não for devidamente quitado, a credibilidade do seu negócio será comprometida e, como as demais áreas e obrigações da empresa não param no tempo, novas despesas se acumularão também.

Nesse caso, porém, sem a linha de crédito para recorrer, sua empresa poderá ficar inadimplente, inclusive com as entidades fiscais. Dependendo da gravidade, até mesmo a suspensão do funcionamento poderá ser aplicado como penalidade até que a regularização fiscal seja realizada.

Crie uma auditoria para seu negócio

Aqui entre nós, o dia a dia corrido dos negócios impede que o gestor tenha atenção completa para as finanças empresariais. Por isso, considere criar um cronograma para acompanhar regularmente as entradas e saídas do negócio pois isso poderá garantir que ele tenha maior controle dos gastos. Também permitirá analisar alguns custos e as maneiras para diminuí-los.

Sabendo como separar as contas da empresa das contas pessoais, a saúde financeira do seu negócio estará assegurada e, na atualidade, isso pode ser um diferencial. É o caso de empresas que buscam investidores anjo, por exemplo. Para que eles apostem no seu negócio, precisam ver, além da inovação, uma exímia habilidade de gestão. É o seu caso?

O mesmo vale para empresas que querem se tornar fornecedoras de grandes multinacionais, as quais precisam ter certeza de que descontroles financeiros não irão afetar a qualidade dos produtos e serviços prestados e acordados previamente. Ou seja, o futuro da sua empresa também está em jogo e depende de você.

Agora que você já sabe como separar as contas da empresa das contas pessoais, precisa buscar outras soluções e dicas para alavancar seu negócio, não é mesmo? Então curta nossa página do Facebook, conecte-se com nosso LinkedIn e assine nosso canal do YouTube. Conteúdo de primeira e em diferentes formatos!

Avatar
Adolfo Felipe da Silva

O Adolfo Felipe tem 23 anos, e 6 deles são de experiência com marketing e vendas. Atualmente faz parte do time de Marketing no Guia Empreendedor, onde é responsável pela estratégia de inbound marketing. Tem experiência em diversos segmentos como varejo, educação e tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!