Controle das contas: cuidados com “otimismo” e “falta de importância” no planejamento

Controle das contas: cuidados com “otimismo” e “falta de importância” no planejamento

Somar e subtrair. As contas matemáticas que aprendemos mais cedo em nossas vidas. Já nos primeiros anos de estudo, a professora ensina o sinal de mais, o sinal de menos, e começamos a brincar com os números.

Se começamos tão cedo, alguém responde por que é tão difícil organizar as contas de casa e da empresa? Não é só somar e subtrair? Sim, é. Mas desta conta temos que tirar duas variáveis importantes: excesso de otimismo e falta de importância. O primeiro, normalmente, temos em relação a quanto vamos ganhar. O segundo, em relação à despesas. Está criado o motivador do desequilíbrio.

Para quem tem empresa, ter o controle das contas, como uma previsão de novos clientes e entrada de receita, é essencial. Mas a previsão não pode ser considerada, já de cara, uma certeza. Considere para a previsão de receita somente o que já está garantido em contrato. E não se esqueça também que existe potencial de calote de pagamento, o que pode afetar suas contas e desequilibrar a planilha de controle. Contar com um dinheiro programado – ou seja, adicionar “excesso de otimismo” em sua contabilidade – pode ser fatal para seus negócios.

Já quando falamos de despesas, existem aquelas fixas e variáveis. As fixas são os gastos básicos, que não mudam: aluguel do estabelecimento, salário de funcionários, etc.

As contas variáveis são aquelas que mudam conforme a demanda de seus clientes pelos seus produtos. Se você tem um salão de beleza, por exemplo, caso sua clientela aumente, os gastos com xampu, condicionador, por exemplo, vão aumentar. O mesmo impacta custos que são fixos, mas acabam sendo afetados por aumento de demanda: contas de luz e de água, por exemplo, que ficam mais custosas pela elevação do uso de secadores de cabelo e lavatórios. A comissão de seus funcionários também cresce, afinal você paga mais comissão por cortes de cabelo, por exemplo.

É aqui que costuma haver “falta de importância”. Ficamos tão felizes com o aumento da clientela – isso é obvio e natural – que deixamos de dar importância à elevação de custos que isso traz. Então, acabamos não contabilizando estes gastos extras e a conta se perde.

Por isso, tenha uma projeção: se cinco pessoas vierem a mais por semana no salão, quanto terei de pagar a mais com comissão? Com xampu? Com a conta de luz?

As receitas e as despesas acompanham o comportamento da sua empresa e devem, portanto, ser sempre atualizadas.

Tem dúvidas? Mande para a gente!
Bons negócios!

 

[button link=”https://guiaempreendedor.com/duvidas-de-como-gerir-sua-empresa-mande-para-nos-que-o-clicoresponde/” target=”blank” color=”8BC751″ icon=”fa-check” size=”large” tooltip=”Tire sua dúvida”]Tem uma pergunta? o #ClicoResponde[/button]

Clico

O Guia empreendedor é o ecossistema de empreendedorismo que tem como principal proposta ajudar os empreendedores a darem o próximo passo na criação de um negócio de sucesso. Ajudamos nas resoluções dos problemas rotineiros que todo empreendedor tem na gestão do seu negócio através de Conhecimento, Networking e Tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!