Comunicação

Datas comemorativas: 4 formas de fazer marketing sazonal!

Quando bem exploradas, as datas comemorativas são excelentes oportunidades para aumentar as vendas de qualquer empresa. Mas para fazer uma campanha de marketing sazonal eficiente é preciso mais do que listar as datas que podem ser trabalhadas por sua organização. Neste caso, o planejamento de cada passo até concluir seus objetivos é fundamental.

Para te ajudar a explorar as datas comemorativas e aumentar a visibilidade de seu negócio, listei 4 formas de fazer suas campanhas de marketing sazonal. Confira!

1. Planeje suas ações com antecedência

Para que sua ação de marketing sazonal conquiste os resultados esperados é indispensável que os clientes sejam informados a tempo. Principalmente, para que eles desenvolvam o interesse por seus produtos ou serviços na data comemorativa escolhida por você.

Por isso, é essencial que você faça um planejamento cuidadoso de cada uma de suas ações. Isso permite a criação de peças promocionais para a divulgação de sua campanha e prepara você para um possível aumento na demanda que a promoção na data comemorativa pode gerar.

Além de garantir uma comunicação clara com seus clientes, planejar com antecedência ajuda a antecipar problemas que poderiam ser gerados em uma campanha de datas comemorativas.

2. Seja criterioso na seleção das datas comemorativas

Para que sua campanha de marketing sazonal seja mais eficiente, é indispensável que você selecione com cuidado as datas comemorativas que pretende explorar em suas campanhas.

Usar uma data que não gera apelo em seu público gera desperdício de recursos e energia, que poderiam ser usados em outras oportunidades. Além disso, fazer promoções a cada feriado diminui o valor de suas campanhas para o seu público-alvo.

Por isso, busque conhecer mais sobre seus clientes e as datas comemorativas mais importantes para eles e explore-as. Fazendo isso, você tornará suas campanhas sazonais mais atraentes e valiosas para seus clientes.

3. Faça parcerias com seus fornecedores

Ao planejar-se com antecedência, escolhendo com cuidado as datas comemorativas exploradas em suas campanhas promocionais, você aumenta o poder de negociação com seus fornecedores.

Você poderá negociar a aquisição de um grande volume de produtos apenas para aquela data específica, conseguindo descontos ou até mesmo condições de pagamento facilitadas.

Estas parcerias poderão ser ainda mais benéficas em períodos de baixa procura por seus produtos, pois estes momentos também prejudicam o seu fornecedor. Lembre-se que seus parceiros estão tão interessados em realizar vendas assim como você, use isso a seu favor.

4. Realize concursos e sorteios

Realizar concursos e promoções especiais em datas comemorativas é uma excelente estratégia para aumentar o alcance de sua empresa em um período específico.

Isso porque, a oferta de um bom prêmio atrelado à compra de seus produtos ou serviços pode aumentar consideravelmente as suas vendas e, até mesmo, mobilizar seus clientes para promover a sua empresa espontaneamente.

Você poderá explorar a realização e concursos não apenas em datas comemorativas, mas também para o lançamento de coleções, uma excelente oportunidade para gerar demanda pelos produtos de sua empresa.

Mas lembre-se: antes de realizar concursos e sorteios não deixe de conferir as determinações do Ministério da Fazenda, que impõe algumas limitações para a realização de sorteios.

Seguindo cada uma destas dicas você será capaz de aproveitar ao máximo as datas comemorativas em suas campanhas de marketing sazonais. E então, já tem alguma outra prática ao criar suas campanhas? Compartilhe comigo nos comentários!

Read More...

Empreendedorismo

5 dicas para definir a missão da sua empresa

Gerenciar um negócio é uma tarefa trabalhosa e exige um bom planejamento para que possa alcançar sucesso e atingir os seus objetivos. São vários aspectos que precisam ser levados em conta na hora de organizar o seu sistema administrativo e traçar o conjunto de metas que vão nortear o seu trabalho. A missão da empresa é um desses itens que precisam ser muito bem definidos em seus processos gerenciais.

Se não definir itens essenciais para o funcionamento do negócio, a empresa corre risco de cometer falhas por não ter um caminho traçado para seguir. O lucro é um objetivo comum para qualquer companhia, mas para chegar até lá é necessário definir estratégias, modos de operar e uma cultura organizacional que norteia o trabalho. Portanto, a missão da empresa não é um tópico irrelevante, mas sim fundamental para os negócios.

Neste post separei algumas dicas que vão te ajudar na hora de definir a missão da empresa. Não deixe de conferir os próximos parágrafos!

Saiba o que é missão

Missão é, basicamente, definir e detalhar qual a razão de ser de uma empresa. Ou seja, esse tópico explica por que a sua empresa existe. Assim, ao escrever a missão da empresa é importante definir o segmento em que o seu negócio está, como espera que a sua empresa seja vista pelos seus clientes e fornecedores. É um direcionamento sobre o que é o negócio e o que se pretende com esse trabalho.

Leve a sério

Muitos empresários têm uma visão simplória sobre a missão da empresa e, dessa forma, acabam dedicando pouco tempo à análise e elaboração desse item do seu planejamento. E isso está errado. Como relatei no tópico anterior, a missão é uma definição importante sobre o negócio, logo, é necessário dedicar tempo, análise e avaliação para entender a vocação da sua empresa e definir isso no formato da missão.

Saiba que ajustes são permitidos

Não se desespere, pois não quero colocar pressão e sim mostrar a importância de elaborar bem a missão da sua empresa. Portanto, esse tópico do seu planejamento não é fechado e pode ser ajustado ao longo do tempo ou à medida em que se percebe que há mudanças na vocação empresarial. É normal que, com o passar do tempo, as coisas mudem e o modelo gerencial também, então é permitido fazer ajustes na missão. Mas somente ajustes e nada de desviar do seu caminho.

Tenha atenção estratégica

A missão – assim como os outros pilares empresariais: visão e valores – tem um potencial estratégico grande. Ao elaborar com cuidado e eficiência esses pilares, o empresário está dando um direcionamento para o negócio e também definindo o seu posicionamento de mercado. Tudo isso vai influenciar nas suas estratégias e em como a sua empresa se portará com os clientes, fornecedores e concorrentes.

Inspire-se

Nada melhor do que observar como grandes empresas definiram a sua missão e como vem agindo de acordo com ela. Confira algumas:

  • Coca-Cola do Brasil: “Refrescar o mundo – em corpo, mente e espírito. Inspirar momentos de otimismo – através de nossas marcas e ações. Criar valor e fazer a diferença – onde estivermos, em tudo o que fizermos”;
  • Disney: “Alegrar as pessoas”;
  • Petrobras: “Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia nos mercados nacionais e internacionais, fornecendo produtos e serviços adequados às necessidades dos seus clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua.

E então, você já definiu a missão da sua empresa? Compartilhe nos comentários as suas opiniões e ideias!

Read More...

Desenvolvimento Humano

Coaching empresarial: como utilizar o coach para alavancar PMEs?

É muito comum encontrar pequenas e médias empresas que enfrentam grandes dificuldades e acabam fechando as portas antes de completar 5 anos. Segundo levantamento realizado pelo SEBRAE, as empresas encontram obstáculos para formar uma carteira de clientes, além da falta capital para investir, dificuldade para encontrar mão de obra qualificada, falta de experiência do empreendedor para lidar com desafios e com a burocracia, o que faz necessário o coaching empresarial.

Essas dificuldades conseguem ser mais bem gerenciadas por meio de um bom planejamento e uma boa gestão de negócio. Nesse momento, entra o coaching empresarial, que traz benefícios e facilidades para a organização buscar o crescimento e consolidação no mercado. Se você quer saber mais detalhes sobre o assunto, confira no texto que eu preparei a seguir!

Desenvolvimento das ferramentas e estratégias de gestão

O coach, pessoa responsável pelo processo de coaching em sua organização, realiza um levantamento de informações e observa os processos internos para poder desenvolver as ferramentas e estratégias necessárias para o crescimento da empresa. Nesse momento, são definidas as metas e as ações de crescimento, quem as realizará, quais serão os prazos e de que maneira essas ações serão acompanhadas.

Além disso, o coach ajuda o empresário a utilizar ferramentas comportamentais e de gestão para tornar a execução dos planos de ação mais eficazes.

Otimização de processos

Seu negócio consegue ser alavancado pelas ações do coaching empresarial, porque otimiza os processos por meio de melhorias internas. O coach age contribuindo para o aumento da margem de lucro, melhor gestão de tempo, maior preparo para lidar com processos burocráticos, eliminação de atividades que não trazem resultados e descentralização das atividades.

Organização na empresa

Por meio de um diagnóstico realizado pelo coach, é possível identificar em quais setores da empresa os processos estão mais críticos e os que apresentam mais oportunidades.

Dessa forma, é realizada uma reestruturação da empresa e organização dos procedimentos, diminuindo assim o tempo de desenvolvimento de uma atividade, o que traz melhoria nos resultados e permite ao empreendedor ter uma visão mais dinâmica de sua organização.

Aumento do comprometimento dos colaboradores

Quando os colaboradores percebem uma maior organização da empresa e são cobrados pelos resultados, o comprometimento e a produtividade aumentam. Principalmente, pois eles sabem que o coach, junto aos gestores, observarão o trabalho da equipe e agirão diante de resultados contrários ao requerido. Essa ação contribui para manter o foco dos funcionários, a motivação, o cumprimento de prazos e o aumento nos lucros da empresa.

Aprimoramento das habilidades e competências

O coaching empresarial atua na organização realizando treinamentos e capacitações dos funcionários quando necessário. Estas capacitações são voltadas para suprir a carência apresentada e desenvolver as habilidades e competências exigidas diante das oportunidades de melhorias encontradas.

Quando os funcionários estão mais preparados, eles conseguem cumprir as suas obrigações com alto desempenho e realizar tomadas de decisão de maneira efetiva.

Redução de turnover

Essa especialização do coaching também melhora a satisfação do funcionário e reduz a rotatividade dos colaboradores, uma vez que trabalha aspectos pessoais e proporciona uma melhoria na qualidade de vida no trabalho.

Com os processos otimizados, gestão de tempo bem-feita, finanças organizadas e com as habilidades e competências ideais para as funções desenvolvidas, o trabalhador consegue realizar suas tarefas dentro do prazo, diminuindo as horas extras e o estresse adquirido pelo trabalho sob pressão e sem recursos.

Quando os funcionários estão mais engajados e preparados para desenvolverem seus trabalhos e a empresa está mais organizada, o empreendedor consegue realizar sua gestão de tempo e voltar a sua atenção para os pontos chaves de sucesso do negócio, aumentando cada vez mais o sucesso do negócio

Agora que você já sabe de que maneira o coaching empresarial ajudará a alavancar seu negócio, compartilhe esse post em suas redes sociais e me ajude a passar as informações para outras pessoas!

Read More...

Empreendedorismo

Dicas simples para montar um Plano de Negócios

Quando eu era pequeno, lembro que minha avó dizia que meu avô era do tipo que “soltava os cachorros e depois tentava colocar a coleira”. Eu nunca entendi isso muito bem, até porque eles tinham gatos em casa, e nenhum cão.

Depois que virei empreendedor, porém, entendi exatamente o que este dito popular significava — e notei como ele era parecido com o que todos nós que abrimos o próprio negócio fazemos, mesmo sem perceber. “Soltar os cachorros e depois prender” significa ir fazendo as coisas e depois tentar remediar, no caso de haver algum problema. É não perder a oportunidade e ir rápido em direção ao objetivo.

Apesar de o perfil empreendedor ser marcado também pela ousadia, hoje em dia a concorrência é muito grande e o “colocar a coleira depois”, ou remediar um problema só quando ele aparecer pode ser fatal para a empresa. Não podemos nos esquecer de que o índice de mortalidade precoce das empresas brasileiras — aquelas que fecham as portas no primeiro ano de vida — gira em torno de 16%. Isso é muita coisa!

Existe um aliado muito interessante neste processo: o Plano de Negócios. Nele, basicamente, você insere as informações de onde sua companhia está, aonde você quer que ela chegue e como será o trabalho para obter este resultado. É o norte de todas as suas atividades.

Já fiz um post explicando como tirar a empresa do papel, você se lembra? O de hoje, então, é um passo anterior: como colocar a sua empresa no papel. No Plano de Negócios deve estar contido tudo o que for referente à sua companhia. Veja mais sobre o assunto no artigo de hoje e entenda como montar o seu Plano de Negócios!

O que é o negócio?

Responda a algumas questões básicas sobre o ramo de negócios de sua empresa:

  • Qual foi a oportunidade de mercado que você visualizou?
  • Quais dores de seu público-alvo serão atendidas?
  • Qual é o segmento de atuação e diferenciais de sua empresa?

Para exemplificar, cito a definição de uma amiga que pretendia abrir uma loja de lingerie. Ela definiu assim o seu negócio: “Loja varejista de lingerie especializada em tamanhos grandes, com atendimento focado em mulheres de 30 a 50 anos que querem valorizar seu corpo sem necessariamente destacar sua silhueta ou suas curvas”. Ficou bem claro, não é mesmo?

Qual é o montante de capital a ser investido?

O montante de capital a ser investido é o resultado de dois cálculos. O primeiro é o dos valores utilizados para o início das atividades da empresa. Nele, é importante listar todos os itens que serão comprados ou os valores utilizados antes mesmo de seu negócio começar a atender ao público.

O segundo cálculo é o do capital de giro para manter sua empresa funcionando entre 6 meses e 1 ano, mesmo que ela não tenha um bom faturamento no início de sua existência.

Muitos empreendedores conseguem pensar no primeiro cálculo e iniciam suas atividades sem prever que os primeiros meses são os mais difíceis para a empresa, pois ela não tem clientes fidelizados, não é conhecida no mercado e os gastos com publicidade e promoções são maiores que o retorno trazido.

Um exemplo disso é o caso de três amigos meus que investiram mais de R$ 200 mil em um negócio inovador de vassouras ecológicas que custavam 20% a mais que as tradicionais, mas que duravam até 3 vezes mais. Por falta de capital de giro para a manutenção da empresa, precisaram encerrar as operações no 4º mês de existência da empresa.

Detalhe: venderam o maquinário pela metade do preço para um empresário que, 6 meses depois, tinha recuperado 200% do valor pago para eles. Ou seja, o negócio tinha grande chance de dar certo, mas eles não planejaram corretamente o montante de capital a ser investido.

Quais são os principais produtos e/ou serviços?

Quase todos os empreendedores começam seu plano de negócio por aqui, o que é um erro! Sua empresa, seus produtos ou serviços existem para suprir uma necessidade, solucionar um problema ou alavancar uma oportunidade que as pessoas vislumbram. Nenhum produto tem um fim em si mesmo.

Em outras palavras, ninguém compra uma roupa pelo simples fato de ela ser bonita, mas sua motivação pode ser o status social que a roupa traz, a necessidade de se vestir, uma questão de estilo de vida — como é o caso das roupas esportivas — ou por entenderem que o preço está abaixo do que seria justo para adquirir aquela roupa.

Então, antes de definir quais são os produtos ou serviços que sua empresa oferecerá, determine quais são as necessidades que eles atenderão e quais serão as motivações das pessoas para comprá-los.

Qual é o faturamento mensal estimado?

O faturamento é a soma total das vendas (quantidade de unidades vendidas multiplicada pelos valores dos produtos) que sua empresa realizará baseada no estudo de público-alvo que será atingido por ela.

No caso da minha amiga, sua loja ficava em um bairro de classe média, onde as estatísticas apontavam que a maioria da população eram mulheres de 30 a 50 anos que estavam com sobrepeso, ou seja, ela tinha um bom mercado para explorar.

Qual é o perfil dos principais clientes?

Esse é o principal item de sua pesquisa e dele derivam todos os outros. Se você não pesquisar bem as características do público-alvo, correrá sérios riscos de oferecer o produto errado, para as pessoas que não se interessam por ele.

Aqui é importante considerar a fixa etária do público-alvo, o grau de instrução, a religião, os hábitos em geral, a classe social, a renda mensal média, os lugares que ele frequenta, os gostos artísticos (muito importante saber disso para determinar a identidade visual de sua empresa, loja e embalagens de produtos), entre outros fatores.

Onde será localizada a empresa?

Do estudo do público-alvo nasce a melhor localização de sua empresa, pois seus hábitos podem indicar que sua empresa deveria ficar próxima a um local que as pessoas já frequentam, assim diminuiria a necessidade de sua divulgação. Por exemplo: uma loja de artigos religiosos deveria ficar próxima ao templo que as pessoas daquela religião frequentam, você não acha?

Quanto é o lucro estimado?

Descontadas todas as despesas com a manutenção do negócio (aluguel, água, luz, telefone, funcionários, impostos, reposição de estoque, entre outros), quanto de dinheiro sobre no final do mês? Este é o lucro estimado de sua futura empresa.

Em quanto tempo espera que o capital investido retorne?

O retorno sobre o investimento (ROI) é o indicador que mede a quantidade de tempo necessária para que o lucro da empresa possa cobrir o investimento inicial. Ou seja, durante algum tempo, o empresário estará trabalhando para recuperar o capital que investiu ao abrir o negócio.

No caso da fábrica de vassouras ecológicas, esse seria o momento em que os lucros já cobririam todos os valores usados na operação cotidiana da loja e ainda devolveriam os R$ 200 mil usados para a abertura da empresa.

É importante perceber que, até este momento, o empreendedor está com uma relação deficitária com sua empresa, pois ela não aumentou suas riquezas de forma real, somente a partir do momento que ela retorna o valor que foi investido é que o empresário começa a ter lucros. Por isso, torna-se indispensável a mudança de paradigma, isto é, um planejamento mais eficaz, focado em grandes resultados. É isso que eu vou mostrar a seguir. Acompanhe.

Conheça o Plano de Negócios

Este é o Plano de Negócios básico, mas existem ainda outros pontos muito importantes:

  • Quantidade de sócios e descritivos das atividades e atribuições de cada um deles;
  • Missão da empresa (se você tem uma loja de doces, a missão será, por exemplo, satisfazer o cliente através da produção de receitas saborosas, em um ambiente limpo e agradável);
  • Plano de marketing: como você vai fazer para que sua empresa seja conhecida (divulgação de anúncios, comerciais, etc.);
  • Regime tributário: qual será o regime tributário de sua empresa? Para isso, você precisará da ajuda de um contador;
  • Fonte de recursos dos investimentos;
  • Estudo de concorrentes: onde estão os principais concorrentes? Como eles cobram e qual é o diferencial do negócio deles?
  • Preço dos produtos: como ele será calculado, levando em consideração custos operacionais e margem de lucro?
  • Número de funcionários necessários para cumprir as funções do processo operacional total.

Estes são apenas alguns pontos dos processos. A base de tudo é entender qual a viabilidade financeira de sua empresa e como você vai fazer para chegar ao tão sonhado empreendimento rentável e equilibrado.

Flexibilidade na montagem do Plano de Negócios

Talvez você seja muito orgulhoso quando investe no seu próprio negócio, não ouvindo muito o que o mercado, aquela pesquisa, os clientes e os resultados estão lhe dizendo — ou, quer dizer, gritando a você. O que aprendi muito nessa vida é que ser flexível é uma das “ferramentas” — ou se você quiser chamar de qualidade — mais promissoras que temos em nossa personalidade.

O motivo é quase que banal: quando temos a capacidade de escutar ou de enxergar o que está à nossa frente, sabendo analisar o que está dando errado e o que está dando certo, conseguimos nos adaptar aos ambientes e realizar mudanças que visem o lucro e o sucesso do empreendimento.

Mesmo que você tenha muito apreço por determinada ideia, na hora de montar o plano de negócios você precisa estar preparado para ser flexível, porque irá levantar dados, tabelas e relatórios que irão dizer, por meio de estatísticas e pesquisas, se o projeto é viável ou não. É nessa hora que a flexibilidade ajuda, porque você pode encontrar uma forma de se adequar diante da dificuldade.

Acompanhamento do Plano de Negócios

Como estamos vendo, sem dúvida, montar um plano de negócios é um processo difícil e cheio de pormenores. Contudo, há um detalhe ao qual poucos empreendedores ficam atentos: a necessidade não apenas de implementar um Plano de Negócios, mas também de acompanhá-lo para verificar o andamento das mais variadas etapas.

Esse esquecimento se deve a diversos fatores como, por exemplo, a ansiedade de tirar a empresa do papel ou o estresse com outros assuntos. O fato é o seguinte: ao acompanhar todo o plano, a chance de errar se torna inexistente, uma vez que você saberá em que arriscar, o quanto investir e estimar se aquela estratégia dará certo em determinado momento.

Coloque o plano de negócios em prática e lembre-se de que sempre será necessário ficar de olho em qualquer mudança brusca nos resultados ou insatisfação dos clientes, para não perder dinheiro e não ter que arcar com as consequências mais sérias, como dívidas e reclamações. Por isso, observe os resultados e mantenha um monitoramento mais próximo e constante.

Lide com imprevistos

Em um plano de negócios, o que não falta são os imprevistos. Afinal, como lidar com eles? Então, venho aqui para lhes dizer que os acasos são o que deixam o sucesso ainda mais instigante.

Vocês podem até fazer uma analogia com a palavra desafio. Os imprevistos chegam para testar se você é capaz ou não de ultrapassar um obstáculo! E, para isso, você pode muito bem se apoiar ao marketing para dar a volta por cima e criar manobras rumo ao sucesso.

E então? O que você achou dessas dicas simples para montar um Plano de Negócios eficiente? Bem, agora que você já sabe como montar um, quem sabe você não vira um dos empreendedores que ficam milionários com menos de 30 anos? Mãos à obra!

Read More...

Finanças e Tributos

O que é VPL e por que ele é importante para seu negócio?

Uma das questões que sempre procuro abordar é a importância do planejamento para o seu negócio e como traçar metas ou prever cenários de maneira segura. A melhor maneira de fazer isso, claro, é através do uso de métricas confiáveis! Nesse artigo, vou explicar o que é o VLP (Valor Presente Líquido), quando e como ele deve ser utilizado e sua importância para que sua empresa faça bons investimentos futuros. Confira!

Para que serve o VPL?

O VPL é um cálculo utilizado para que sua empresa entenda se determinado investimento que ela pretende fazer é viável ou não. Ou seja, é com ele que sua empresa definirá se aplicar determinada receita em um projeto futuro trará retorno ou se o investimento será deficitário — e, portanto, inviável.

No entanto, o VPL faz muito mais do que comparar o investimento com o retorno esperado. Com ele, é possível calcular o ganho real do investimento, já que também considera a valorização do capital com o decorrer do tempo, ou seja, considera o juros que a sua empresa receberia se, ao invés de realizar o investimento, ela simplesmente fizesse a opção de colocar o dinheiro no banco ou em papéis e esperasse os ganhos com juros compostos.

Como calcular o VPL?

O cálculo do VPL é baseado no fluxo de caixa (FC) da sua empresa para um investimento durante determinado período de tempo (j). Ou seja, consideramos o investimento inicial (saída no fluxo de caixa) mais o retorno dos investimentos nos meses seguintes (entrada no fluxo de caixa).

Além disso, também precisamos calcular a taxa de desconto (i). Essa taxa diz respeito ao que sua empresa ganharia se ela colocasse esse dinheiro em um investimento seguro — como títulos do governo. Em geral, utiliza-se a taxa básica de juros (SELIC) que, repetimos, são compostos (o popular juros sobre juros).

A conta parece complicada, mas temos o nosso bom e velho amigo EXCEL, calculadoras financeiros e mesmo aplicativos e sites na internet que nos auxiliam nessa tarefa. Ao fim do cálculo, o VPL poderá apresentar três resultados:

  • VPL positivo: o investimento é viável e trará ganhos ou a valorização da sua empresa.
  • VPL negativo: o investimento é inviável, já que acarretará perdas.
  • VPL neutro: quando o cálculo for igual a zero, sua empresa terá um investimento equilibrado. Ou seja, o investimento não trará nenhum tipo de prejuízo, mas também não valorizará os seus ativos.

Gostaria de recapitular o seguinte: o VPL mostra, de maneira clara, é que não basta que o seu retorno seja numericamente maior do que investimento para que este seja considerado viável. É preciso que o retorno do investimento seja, também, mais significativo do que o retorno que você teria em um investimento seguro.

Um exemplo: se o investimento de R$ 20 mil da sua empresa gerou um lucro de R$ 50 mil na soma de 5 meses, você tem um retorno bruto de R$ 30 mil (lucro – investimento inicial). Mas, vamos supor que, se sua empresa comprasse R$ 20 mil em papéis que geram 10% de juros ao més, ela teria, ao final de 5 meses R$ 32.200. Ou seja, o investimento não é viável, já que vale mais a pena esperar pelo juros.

E então, tirou todas as suas dúvidas sobre o que é VLP? Quer receber mais dicas como essas exclusivamente em seu email? Assine a nossa newsletter!

Read More...

Comunicação

Marketing online para pequenas empresas: como começar?

Não sei quanto a você, mas eu já perdi as contas de quantas vezes ouvi empreendedores reclamando das dificuldades de realizar uma estratégia de marketing online com sucesso. Ainda mais no início do negócio, quando a empresa é pequena, pode ser complicado saber por onde começar. Então, adivinha sobre o que vamos falar hoje? Isso mesmo, amigo empreendedor! Hoje você vai aprender como começar a sua estratégia de marketing!

Faça um planejamento detalhado

A primeira coisa que eu faço antes de iniciar uma campanha de marketing online é planejá-la com calma. Mas, o que está envolvido nisso? Pelo menos dois fatores:

Objetivos e metas

Seu plano de marketing online precisa de objetivos gerais, que darão o norte de todas as suas decisões.

Mas estabelecer metas específicas, como “aumentar o número de clientes em 50%” e “expandir o alcance dos produtos para X cidades”, por exemplo, dão uma noção melhor ainda de onde se quer chegar.

Prazos

Depois de acertar os objetivos e metas você precisa colocar prazos neles. “Em quanto tempo consigo atingir os 50% de aumento ou colocar o meu produto nas X cidades?” é o que você responder a si mesmo.

Mas cuidado com os extremos: não estabeleça “ontem” como prazo realista, mas também não deixe para quando der. A ideia é se desafiar, mas colocar uma data que pode ser cumprida.

Monte planos de ação de marketing online

Nesse estágio você já planejou o que pretende alcançar e até quando deseja fazer isso, mas ainda falta saber como. Para isso, monte planos de ação específicos, detalhando os passos a tomar para chegar lá.

Planos de ação bem traçados tiram aquela ideia de que o objetivo é difícil demais, e mostram exatamente o que fazer para conquistá-lo.

Aprenda a dominar as ferramentas que vai usar

O marketing online oferece muitas ferramentas úteis para facilitar e otimizar o seu trabalho. Mas, como elas terão efeito se não forem usadas do jeito certo? Veja algumas dessas ferramentas:

Redes sociais

Você já deve estar cansado de saber que as redes sociais estão entre os principais canais de marketing online, não é mesmo?

Lembrando disso, descubra primeiro quais as redes favoritas do seu público-alvo. Depois aprenda qual a proposta de cada uma, quais são seus principais recursos e como usá-los.

Automação de marketing

As ferramentas de automação de marketing servem para facilitar a nutrição de leads e ajudam a gastar menos tempo e dinheiro para conseguir maior lucro. Parece bom, certo?

Mas para aproveitar os benefícios de ferramentas como e-mail marketing, tome tempo para se acostumar com suas funcionalidades e aprender como usá-las.

Tomar esses cuidados fará toda a diferença na hora de executar sua estratégia, e aumentará muito suas chances de sucesso.

Acompanhe os resultados e se ajuste

Por último, algo que eu deixei de fazer nas minhas primeiras campanhas e me arrependi depois foi não acompanhar direito os resultados do meu trabalho.

Depois que aprendi a lidar com métricas e a importância de se ajustar de acordo com os dados encontrados, não abro mão de fazer isso, pois o retorno sobre o investimento aumenta consideravelmente.

É claro que eu não cobri tudo o que você precisa saber sobre marketing online, até porque isso só te deixaria confuso neste momento. Mas agora você já tem o essencial para começar e evoluir aos poucos, vendo os resultados iniciais melhorarem e se manterem por um bom tempo.

Agora que você já sabe por onde começar, veja também algumas estratégias de marketing de baixo custo para a sua empresa!

Read More...