Logotipo: eu preciso de um?

Logotipo: eu preciso de um?

“Marca não é para mim. Eu sou apenas uma loja de bairro.”

Quais os erros da frase acima? São dois.

Todos nos imprimimos uma marca, seja ela formal ou não. O conceito de marca é muito mais subjetivo do que parece. Não se trata de criar um logotipo.

Todos nós deixamos uma marca no que fazemos. E a sua empresa só precisa comunicar visualmente isso.

O segundo erro: eu sou apenas uma loja de bairro.

Não é porque você atende 30 pessoas na semana que tem menos valor do que as companhias que atendem 30 a cada minuto. A sua loja, seu restaurante, sua escola, não importa, faz, sim, a diferença na vida de algumas pessoas. Portanto, você já tem uma marca. Basta comunica-la, através de uma representação visual: o logotipo.

Também não se pode esquecer que sua pequena empresa pode crescer. Grandes franquias nacionais começaram sua vida com uma loja como a sua.

O que representa a sua marca? Antes, o que não é uma marca:

  • Apenas um nome
  • Apenas um símbolo
  • Apenas um produto
  • Apenas uma comunicação

É tudo isso junto, que representa um combinado de experiências e percepções dos seus clientes.

Por exemplo: a Casa do Pão de Queijo não vende apenas pão de queijo, vende a garantia de um bom atendimento acompanhado de produtos de qualidade. Você sabe o que esperar quando entra numa loja da marca, mas não tem certeza se um pão de queijo qualquer que comprar na rua será tão bom.

Criando uma comunicação visual

Alguns chamam de logomarca (um nome, inclusive, errado em termos técnicos), logotipo, símbolo. Existem algumas variações conceituais em torno delas. Por isso, alguns chamam apenas de logo, para evitar erros. Mas a ideia é ter uma imagem que represente esses valores da sua empresa para gerar uma identificação com o público. Uma comunicação visual, portanto.

Existem agências especializadas em branding e em produção de logos para ajudar em todo este processo. Mas existem caminhos mais simples para quem quer criar uma comunicação visual a um custo mais baixo: são sites de crowdsourcing. Você propõe neste site o seu projeto a uma rede de profissionais. Estes profissionais pensam em sugestões e enviam a você. Você recebe alguns materiais – alguns sites prometem 30 opções em um determinado prazo de tempo – e escolhe seu preferido, pagando somente por ele. É como se fosse um leilão. Existem várias opções por aí na web, então faça uma busca na internet para escolher o que for melhor para você.

Depois de criar seu logotipo, não deixe de registrá-lo no Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Os custos variam, mas lhe garantem a proteção de sua identidade visual! Imagine se um concorrente registra seu próprio logo antes de você e você precisa pagar a ele pelo uso?

Tem dúvidas? Mande para a gente nos comentários!

Links úteis:

http://www.inpi.gov.br/portal/artigo/guia_basico_de_marcas_e_manual_do_usuario_sistema_emarcas

http://www.inpi.gov.br/images/stories/Tabela_Retribuicao_2012_DIRMA.pdf

Mateus Pinto
Mateus Pinto

Publicitário com 20 anos de experiência. Mateus é diretor de arte da Globalweb corp e Co-fundador da agência de Marketing Digital Neoside.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!