O que a informática de sua empresa precisa ter

O que a informática de sua empresa precisa ter
Mateus Pinto
Mateus Pinto
Co-fundador @ Neoside Agency

Vocês se lembram do post sobre antivírus pago ou a versão gratuita, da última sexta-feira? Então,  quem me ajudou a ter respostas sobre este assunto foi Almir Meira Alves, que é coordenador dos cursos de Engenharia da Computação e Engenharia de Produção 2.0 na FIAP. Aproveitei a conversa para tirar uma dúvida minha mesmo: o que eu preciso levar em consideração na hora de montar o departamento de informática – ou de TI, para ser mais chique – em minha pequena empresa?

Como escolher o melhor antivírus

É muito comum algumas pessoas não quererem colocar antivírus nas máquinas por elas perderem o desempenho. Mas as coisas não são por aí. Segundo o professor Almir, é importante ver se as especificações – como capacidade de processamento – do computador são adequados para aquele modelo de antivírus. Se o software pede mais capacidade do que o seu tem, naturalmente ele ficará lento. Os antivírus vêm com as especificações indicadas.

Mantenha cópia de suas informações mais críticas – 1

Poucos dão importância para ponto tão importante quanto o backup – a cópia de seus arquivos mais relevantes para, caso o seu computador quebre, você não tenha de começar sua empresa do zero. Imagine perder contratos, dados de clientes e informações de contas a pagar de um dia para o outro? Isso é sério e muitas empresas quebram por conta disso. “É preciso ter uma contingência, uma segunda estrutura que mantenha o serviço de pé”, explicou o professor. Ele afirma que, hoje, serviços de cloud computing já fornecem automaticamente o backup. “Hoje você entra em um site de uma empresa que fornece softwares em nuvem, faz um cadastro, te mandam um login e uma senha e você acessa remotamente os seus dados, que ficam protegidos em um servidor. Você só contrata o serviço, não precisa investir em infraestrutura. E tem ainda a vantagem de alta disponibilidade que uma grande empresa oferece”, explicou.

Mantenha cópia de suas informações mais críticas – 2

Para empresas que não têm cloud computing, ou mesmo aquelas que têm, mas que querem uma proteção extra, existem serviços de backup baratos. “Para isso indico storages portáteis, que geram até oito terabytes de armazenamento, que é muita coisa.” Segundo o professor, estes produtos custam cerca de R$ 2,5 mil. Você programa um momento do dia em que ele deve fazer a varredura dos equipamentos cadastrados e faz a cópia dos arquivos todos os dias, automaticamente. O professor explica que o cadastro deste storage é extremamente fácil e intuitivo, sem a necessidade de um especialista de TI.

Pacote de produtividade

Outros serviços que são vendidos na nuvem são os pacotes de produtividade – editor de texto, planilha de cálculos, etc. Não é incomum que empresas comprem CDs de licenças pirateadas, o que é ilegal. Isso ocorre porque, especialmente no passado, os arquivos originais tinham custo extremamente elevado. Mas hoje, com serviços na nuvem, isso não é mais um problema, explica o professor. “Alguns pacotes custam US$ 6 por licença por mês”, contou o professor, emendando: “arquivos piratas colocam em risco as máquinas, que ficam mais suscetíveis a vírus, além, claro, de gerarem multas no caso de as empresas serem descobertas. A multa custa duas mil vezes a licença original.”

Roteador

Uma dica do professor é contratar roteador (aquele equipamento que permite que a internet seja Wi-Fi) com sistema operacional Linux, que é mais seguro que os demais.

Internet

Para garantir que os serviços de sua empresa não saiam do ar – em especial se você tiver contratos de cloud computing –  o professor indica a contratação de um link dedicado de internet, que é mais caro do que o convencional, mas de qualidade superior (em São Paulo, por exemplo, custa uma média de R$ 300 por mega). “Link dedicado não é obrigatório. O foco é sempre buscar uma conexão de alta qualidade, para que você não fique com sua operação indisponível”, explicou Almir. Isso especialmente se a empresa tiver um serviço de cloud computing – que precisa da internet para rodar. E outra dica: caso a sua empresa e sua casa estejam no mesmo ambiente, evite compartilhar a conexão com a internet. Imagine alguém assistindo a um filme em HD na internet ou baixando um arquivo pesado enquanto você tenta acessar o sistema da sua loja? A conexão vai ficar mais lenta e complicar sua atividade profissional.

Na visão do professor, é preciso buscar ao máximo evitar gastos desnecessários neste momento. “Os empresários devem buscar soluções dinâmicas e que não tragam altos custos, sem grandes investimentos. Por isso que cloud é uma boa alternativa para pequenas e médias empresas”, finalizou.

 

[button link=”https://guiaempreendedor.com/duvidas-de-como-gerir-sua-empresa-mande-para-nos-que-o-clicoresponde/” target=”blank” color=”8BC751″ icon=”fa-check” style=”pill” size=”large” tooltip=”Tire sua dúvida”]Tem uma pergunta? o #ClicoResponde[/button]

Mateus Pinto
Mateus Pinto

Publicitário com 20 anos de experiência. Mateus é diretor de arte da Globalweb corp e Co-fundador da agência de Marketing Digital Neoside.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!