Intraempreendedorismo: dicas para quem quer empreender em uma startup

Intraempreendedorismo: dicas para quem quer empreender em uma startup

Nunca se ouviu falar tanto sobre startups e empreendedorismo no Brasil como agora.  Pessoas de todas as faixas etárias estão empreendendo em busca de realização profissional e pessoal. A Endeavor em sua Pesquisa Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras levantou que quase 6 em 10 universitários desejam empreender.

 

Em um mundo repleto de oportunidades, sobretudo com várias startups brasileiras lançadas nos últimos anos – como Netshoes, iFood, Hotel Urbano, VivaReal, EduK, Descomplica, Nubank, Love Mondays dentre outras– é importante ter foco para não se perder no meio de inúmeras possibilidades que o mercado oferece.

 

Listo abaixo algumas destas possibilidades no contexto empresarial:

  • Ter uma ideia de um produto/serviço e criar uma startup sozinho ou com outros fundadores, utilizando recursos financeiros próprios e/ou de outros investidores;
  • Ser um colaborador (gestor, especialista, estagiário etc) em uma startup;
  • Criar e gerenciar unidades de negócios ou produtos, serviços ou canais/regiões em empresas já estabelecidas. Este é o meu caso, ajudando a SurveyMonkey crescer no Brasil.

 

Todas estas alternativas exigem atitudes empreendedoras.  As duas últimas podemos chamar de intraempreendedorismo, no qual se empreende em empresas em construção junto com os fundadores ou em empresas já estabelecidas.

 

Em poucas palavras, o intraempreendedor é a figura que trabalha para o crescimento de uma organização já estabelecida. Esta é uma excelente oportunidade de aprendizado e realização profissional, principalmente para quem está começando.

 

Relacionei cinco atitudes essenciais para quem deseja se tornar um intraempreendedor em uma startup:

1- Faça uma lista de startups que você se identifique com os valores e visão de futuro e nas quais desejaria trabalhar.

2- Faça contato com os empreendedores destas empresas. Vale contato em mídias sociais, eventos, e-mails, telefone, etc. O importante é conseguir agendar uma conversa com os decisores.

3- Não se prenda a cargos e títulos. O mais importante será o que você pode fazer pela startup.

4- Não se limite ao seu escopo inicial. Em startups, as suas responsabilidades não têm bordas. Enxergue a oportunidade como uma excelente forma de aprender como funcionam todas as áreas da empresa, como o marketing digital, desenvolvimento de produto, vendas, finanças, etc. Estas competências lhe ajudarão a ir mais longe em qualquer startup e a empreender futuramente, caso tenha esta vontade.

5- Entregue o melhor de você e cresça junto com a empresa.

 

As startups têm um importante papel no desenvolvimento da economia de um país, e no Brasil não é diferente. Portanto, trabalhar para o crescimento de uma empresa pode ser tão gratificante e recompensador quanto fundar. Na busca por realização profissional e pessoal não existem regras e fórmulas mágicas de sucesso. Intraempreender é uma das possibilidades a serem analisadas na construção de uma carreira empreendedora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!