Empresário e Pessoa física

Vale a pena abrir um consultório médico com um sócio?

 

Eu sei que a abertura de um consultório médico é um momento muito importante na carreira dos profissionais de medicina, não só pela realização de um sonho, mas também por todos os detalhes que devem ser observados nessa hora. Desde a localização até o tipo de serviços que serão ofertados, passando por questões burocráticas, de equipamentos e de pessoal.

Mas uma das dúvidas mais comuns que eu tenho escutado por aí é a seguinte: vale a pena abrir um consultório médico com um sócio? Ou será melhor pra mim ter um espaço só meu? Fiz um post pensando nisso e explicarei alguns detalhes para que você possa entender melhor esse tipo de sociedade antes de tomar a sua decisão.

Definição do tipo de sociedade e papel de cada sócio

A abertura de uma sociedade médica deverá observar alguns detalhes que devem ser definidos antes do início de suas atividades. Caso você decida escolher o tipo de sociedade em que há a divisão de lucros, todo o valor líquido gerado pela diferença de receitas e despesas será dividido de igual forma pelos sócios. Porém, é preciso tomar cuidado, pois em casos em que um médico trabalha mais que o outro, ou seja, que há maior geração de receitas por um dos sócios, a divisão pode não parecer justa.

Já na sociedade do tipo condomínio, existe a separação entre as receitas, ou seja, cada médico recebe individualmente de acordo com seus serviços prestados e arca com os custos de seu consultório, que são aqueles ligados a material de consumo, impostos, entre outros. Neste tipo de sociedade não há compartilhamento de clientes e somente os valores de despesas relativos a consumo de água, luz entre outros gastos em comum são divididos de igual forma entre os sócios.

Outra possibilidade é o modelo cooperativa, que basicamente funciona quando há o compartilhamento de clientes. Neste modelo, a receita e os custos são individuais, mas há também o compartilhamento de despesas entre os sócios. Estes valores podem ser rateados de acordo com o lucro bruto gerado individualmente pelos médicos.

A parceria independente em condomínio é aquela formada por um grupo de profissionais que possuem diferentes especialidades e que, de alguma forma, estão interligadas. Assim, cada um dos profissionais aluga uma unidade ou sala e há o compartilhamento da recepção. Neste caso, existe somente o compartilhamento das despesas relativas às áreas comuns, como gastos com café, por exemplo, sendo que as receitas e custos são individualizados.

Enquadramento tributário

Além disso, é importante que sejam definidas, junto aos seus possíveis sócios, e junto ao um contador o tipo de tributação que seu consultório terá. Existem atualmente várias possibilidades, com a liberação do Simples Nacional para atividades na área médica, assim como a opção pelo Lucro Presumido ou Lucro Real.

Para abrir um consultório médico, a opção de ter um sócio ou não dependerá muito do seu grau de confiança e da forma como serão divididas as tarefas, o que pode influenciar bastante na sua decisão. Eu sempre lembro a todos que é muito importante o planejamento e a busca por profissionais e soluções que possam tornar o seu dia a dia mais tranquilo, observando as melhores práticas de mercado e as últimas modificações na legislação.

E então, pronto para a abrir as portas do seu consultório? Se você ainda ficou com alguma dúvida com relação à busca de um sócio para o consultório, é só me dizer aqui nos comentários que o #ClicoResponde, ok?!

Deixe uma resposta

Você pode gostar