Business Model Canvas: o que é, qual sua importância e como fazer um?

Business Model Canvas: o que é, qual sua importância e como fazer um?

Se você tem uma mente empreendedora, provavelmente já teve diversas ideias que não tomaram forma, estou certo? Ideias precisam sair do papel, mas nem sempre sabemos por onde começar. Caso você esteja na fase de fazer brainstorming, mas ainda não tenha descoberto como se organizar corretamente, o assunto que vou abordar é de seu interesse. Conheci o Business Model Canvas (modelo de negócio canvas) quando vi alguns jovens empreendedores que pretendiam abrir uma startup apresentando seu modelo de negócio, então procurei saber melhor do que se trata e percebi que é uma ferramenta muito prática e útil.

Como não gosto de guardar conhecimento só para mim, vou compartilhar tudo agora. Acompanhe!

O que é Business Model Canvas?

O BMC foi criado pelo suíço Alex Osterwalder, fruto de suas pesquisas e testes realizados para sua tese de doutorado, que teve contribuição de mais de duzentos consultores e empresários do mundo inteiro.

Há quem o defina de forma resumida como um simples diagrama, mas o que faz desse modelo uma ferramenta cada vez mais popular entre os empreendedores é que a ideia central do Business Model Canvas é permitir que um negócio seja completamente visualizado em uma única página.

Isso é feito por meio de um quadro, dividido em nove componentes que cobrem as quatro áreas consideradas as principais de um negócio, que são clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira.

O que eu considero a melhor parte desse modelo é que a visualização se dá por meio de um desenho, e não apenas por texto. Isso significa que, olhando para o diagrama, é possível compreender de maneira rápida todos os seus nove blocos e fazer comparações e relações entre eles.

O BMC atualmente é uma das metodologias mais utilizadas para quem quer começar a empreender e iniciar um negócio, mas não apenas isso — também serve para quem quer inovar em empresas que já funcionam, pois permite pensar sobre o modelo de negócio tanto da própria organização quanto dos concorrentes.

O uso de desenhos para representar ideias e situações possibilita uma análise tanto do que está sendo criado como do que será remodelado ou adaptado. Até quem não está diretamente envolvido no negócio consegue opinar, graças à facilidade de visualização do modelo.

Vale dizer que é comum que sejam feitos ajustes e mudanças no modelo de negócios durante sua criação ou remodelação, o que não é um problema para o uso da ferramenta. Quando se quer acrescentar ou retirar elementos, basta utilizar post-its coloridos para alterar o diagrama!

bmc

Qual é sua importância?

Como eu mesmo já utilizei o Canvas, fica fácil para mim falar de suas vantagens. Começo dizendo que essa ferramenta é muito mais interativa e prática do que um plano de negócios, que eu considero muito engessado.

O modelo é importante porque permite mostrar como uma empresa funciona, facilitando a definição de ideias e a organização das ações por meio de uma representação gráfica de variáveis que, juntas, mostram os valores do negócio.

Para empresas iniciantes, o BMC auxilia, por exemplo, na segmentação de clientes, área que precisa ser bem definida e é o primeiro passo na elaboração de um modelo de negócio. A visualização dos diferentes segmentos facilita a identificação de propostas de valor específicas para cada um.

Para empresas já existentes, a ferramenta ajuda na avaliação de desempenho do negócio, pois dá informações de forma bastante clara sobre diversos aspectos da organização.

Quando utilizar?

A grande vantagem de utilizar o Business Canvas é que ele gera informações similares ao plano de negócios da empresa, porém, de uma forma mais direta e simplificada. Por causa disso, existem situações específicas em que ele pode ser utilizado, como:

  • no compartilhamento da visão global do negócio com os colaboradores, para que todos consigam visualizar seu próprio papel e o funcionamento geral da organização;
  • no alinhamento de ideias entre sócios, visando facilitar a discussão e visualização de diferentes visões, o que pode descomplicar o processo de tomada de decisão;
  • na atração de investidores, para mostrar o negócio de forma rápida e direta e comprovar que o empreendimento é bem estruturado.

Como fazer?

Como eu citei anteriormente, o Business Model Canvas consiste em um quadro com nove blocos, que representam como a empresa pretende atuar e gerar valor aos clientes. Os conceitos principais desse modelo são o pensamento visual, a visão sistêmica, simplicidade, aplicabilidade e a possibilidade de cocriação.

É possível tanto pegar modelos prontos quanto criar um mural e desenhar o próprio BMC. Os blocos estão relacionados a quatro pilares:

  • como (infraestrutura);
  • o que (oferta);
  • quem (cliente);
  • quanto (finanças).

Deve-se, então, preencher informações e ideias em adesivos autocolantes de diferentes cores até completar o diagrama. Acompanhe quais são os blocos que formam o BMC:

1. Proposta de valor

Defina qual é a oferta de valor do seu negócio para os clientes, ou seja, que benefícios pretende entregar e o que poderá levar as pessoas a se interessarem pelo seu produto ou serviço. Tente resumir tudo em uma única frase.

2. Segmento de clientes

Defina nichos de clientes, ou seja, que fatia do mercado você deseja atender. Pense em qual é seu perfil, onde eles estão, como estão agrupados e qual sua necessidade comum.

3. Canais

Defina por que caminho sua empresa chegará ao cliente, como se comunicará e entregará valor e como o consumidor poderá interagir com seu negócio. Pense em canais de comunicação, distribuição e vendas.

4. Relacionamento

Defina como sua empresa vai conquistar e manter um bom relacionamento com seus clientes. Pense em estratégias que serão um diferencial, de forma que os concorrentes não sejam escolhidos apenas por ter um preço mais baixo.

5. Receitas

Defina como e quanto seus clientes terão que pagar pelos benefícios que sua empresa oferta. Lembre-se de que, atualmente, as vendas não são o único modelo de receita — considere opções como aluguel, assinatura, licença, entre outras.

6. Recursos

Relacione os ativos necessários para realizar sua proposta de valor e colocar o negócio para funcionar. Pense tanto nos ativos físicos, como maquinário e equipamentos, quanto nos intelectuais, como recursos humanos e patentes.

7. Atividades

Relacione as atividades mais importantes para que a proposta de valor seja realizada e a empresa funcione corretamente.

8. Parcerias

Identifique toda terceirização que será feita, com fornecedores e parceiros necessários como apoio para a realização de sua proposta. Pense em outras empresas que ajudarão seu negócio a entregar a oferta de valor.

9. Estrutura de custos

Identifique tudo que será gasto para a operacionalização de seu negócio, considerando os custos com canais, recursos, atividades e parcerias.

Com esse passo a passo, vai ficar fácil fazer o seu Business Model Canvas, pois agora você já sabe o que é necessário apresentar no diagrama montado e quais perguntas devem ser respondidas para completá-lo.

Se você gostou deste conteúdo, quero fazer um convite: assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que falo por aqui!

Adolfo Felipe da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!