Proteja-se dos malwares móveis

Proteja-se dos malwares móveis

Proteja sua rede corporativa contra invasões vindas de smartphones e tablets

Como empreendedor, sei bem que essa coisa de separar a vida pessoal da empresarial é bem complicada. A gente usa computador pessoal no escritório, compartilha conexão de internet de casa com a empresa e traz todo tipo de dispositivo, pessoal e de funcionário, para dentro da nossa operação. Tudo isso porque o investimento é curto e tudo o que puder ajudar na operação é muito bem-vindo, obrigado.

Mas tem uma coisa que praticamente todo pequeno empreendedor ignora é a segurança da informação. Quando você permite que seus funcionários, e você mesmo, conecte smartphones na internet da empresa, você abre uma porta de entrada para malwares!

No Blog do Laboratório da Eset, com posts assinados por Ilya Lopes, especialista de Awareness & Research, tem umas informações de contexto legais sobre isso.

Segundo Lopes, o primeiro malware específico para dispositivos móveis foi criado em 2004. Seu nome era Cabir (ou Caribe). Desde então, essas ameaças evoluíram em quantidade, complexidade e plataformas que atacam. Se antes o foco era só conferir se dava para invadir o dispositivo, agora a ideia é roubar informações que garantam algum retorno financeiro ao hacker.

Uns exemplos me chamaram muito atenção:

Ameaças do tipo side channel attack

Elas roubam informações transmitidas por aplicativos que estão instalados no aparelho. Em outras palavras, esse ataque não é efetuado com força bruta nem explorando vulnerabilidades (métodos normalmente utilizados em ataques direcionados). “O ataque é iniciado quando um usuário descarrega um aplicativo que parece ser legítimo e que não solicita privilégios especiais. Depois da instalação, o atacante pode observar remotamente o momento em que a vítima inicia um aplicativo específico (Internet Banking, sites de compra e venda online, câmera fotográfica, entre outros), e também quando ingressa dados pessoais, dados de entrega do produto comprado e/ou qualquer informação solicitada pelos aplicativos abertos”, alerta o especialista.

Malwares que tiram foto com o seu aparelho sem você saber

Alguns aplicativos para Android têm a capacidade de tirar fotos com o seu celular sem exibir nenhuma notificação, e nem aparecerá na lista de aplicativos instalados. “Sem que o usuário perceba que foram tiradas, as fotos podem ser enviadas a internet e encaminhadas a um servidor privado”, conta.

Além disso, qualquer malware que esteja em um smartphone conectado à sua rede corporativa pode colocar os demais dispositivos conectados à internet em risco. Isso deixa claro que o uso de softwares de segurança, como antivírus, também é necessário em dispositivos móveis. Ou você quer correr o risco?

 

[button link=”https://guiaempreendedor.com/duvidas-de-como-gerir-sua-empresa-mande-para-nos-que-o-clicoresponde/” target=”blank” color=”8BC751″ icon=”fa-check” size=”large” tooltip=”Tire sua dúvida”]Tem uma pergunta? o #ClicoResponde[/button]

Mateus Pinto
Mateus Pinto

Publicitário com 20 anos de experiência. Mateus é diretor de arte da Globalweb corp e Co-fundador da agência de Marketing Digital Neoside.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Aprenda mais recebendo em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a empreender usando os melhores padrões do mercado. Receba no seu e-mail o que você precisa saber para Planejar, Abrir, Gerenciar e Crescer!