Finanças e Tributos

SEFAZ deixa de oferecer NF-e grátis para os contribuintes

 

Se você é um contribuinte que utiliza os aplicativos gratuitos disponibilizados pela Secretaria da Fazenda para emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) saiba que a partir de 1º de janeiro de 2017 eles deixarão de ser disponibilizados, viu?

Cada vez mais, empresas estão deixando de utilizar os aplicativos gratuitos de emissão da NF-e e do CTe e aderindo aos sistemas de documentos eletrônicos. A decisão foi tomada pela Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e estimula as empresas a buscar outras alternativas para substituir a NF-e grátis.

No post de hoje, vou te mostrar em que a mudança gerada pela descontinuidade do emissor gratuito de NF-e implica aos contribuintes e quais são as alternativas ao emissor da NF-e e do CTe. Fique de olho!

Descontinuidade do emissor grátis de NF-e: o que isso significa

Os emissores gratuitos de NF-e e CTe são oferecidos aos contribuintes desde 2006 — período em que os processos passaram a ser informatizados e a transmissão dos documentos fiscais passou a ocorrer de forma eletrônica.

Porém, nos últimos anos, a maioria dos contribuintes tem deixado de utilizar os aplicativos gratuitos, optando por aderir a alternativas mais vantajosas e que possam trazer maiores benefícios à rotina da empresa — como a integração de soluções de sistemas com todos os setores da empresa e com os sistemas de todos os Fiscos.

Segundo levantamento realizado pela SEFAZ, 92,2% dos contribuintes que emitem NF-e utilizam soluções próprias. Já o CTe, o número chega a 96,3%. O aplicativo do órgão era pouco recomendado para empresas que emitiam um grande volume de notas, uma vez que exigia a redigitação de cada campo, nota a nota.

Com a descontinuidade, a partir de 1º de janeiro o contribuinte não poderá mais fazer o download e perderá todas as atualizações. O programa continuará funcionando para quem tiver a ferramenta utilizada, mas, caso haja qualquer tipo de alterações nas regras de validação da NF-e ou do CTe, poderá ter as informações geradas comprometidas.

Hora de buscar alternativas para ao emissor da NF-e grátis

A própria Secretaria da Fazenda recomenda que contribuintes não esperem para o dia 1º de janeiro de 2017, momento que o aplicativo será descontinuado, para procurar outras alternativas. Mas sim que comecem desde já a migração para soluções próprias aos sistemas internos do negócio.

O aplicativo será descontinuado, mas as obrigações fiscais não deixarão de ser entregues. Por isso, procurar uma empresa que ofereça um sistema de gestão e que possa modular, sem complicações, a transmissão das obrigações fiscais é a melhor solução.

Software de emissão de NF-e

A demanda pela utilização de sistemas de gestão online (ERP) está cada vez maior. Com a descontinuidade do aplicativo emissor de NF-e e CTe contribuintes devem procurar uma solução especializada que possa integrar a gestão e o controle financeiro a todos os processos internos da empresa.

Ao aderir a um software emissor de NF-e — seja para tirar poucas notas ou um grande volume — os ganhos são enormes. Um deles é o aumento da produtividade, já que não é mais preciso redigitar nota por nota, o próprio sistema já mantém integrados os dados de cadastro de clientes, de produtos ou serviços e dos pedidos de venda. Com isso, todo o procedimento de elaboração e transmissão da NF-e e CTe é realizado de forma automatizada e sem problemas de erros ou falhas manuais.

Além disso, um sistema emissor de NF-e pode rodar em nuvem e ser acessado online de qualquer lugar e a qualquer hora, desde que o dispositivo esteja conectado à internet. Adotar um emissor integrado a um sistema de faturamento ou sistema de gestão é um grande diferencial de mercado.

Agora me conte: qual é a sua opinião sobre o assunto? Posso te ajudar em mais alguma coisa? Escreva no espaço de comentários!

Deixe uma resposta

Você pode gostar

Torne-se um empreendedor de sucesso!